Reabilitação estética: cirurgia plástica periodontal associada a laminados cerâmicos

Reabilitação estética e bem-estar

A reabilitação estética está intimamente ligada ao conceito de saúde e, portanto, de bem-estar do paciente. Isso porque, nos dias atuais, a demanda por tratamentos estéticos vem aumentando diariamente, inclusive na Odontologia. Dados da Sociedade Brasileira de Odontologia e Estética revelaram um aumento de 300% na procura por procedimentos estéticos, de forma que, ao procurar um atendimento odontológico, a expectativa do paciente vai além da questão funcional apenas. Ele pretende, muitas vezes, melhorar sua aparência, influenciando assim sua autoestima e garantindo seu bem-estar.

Procedimentos cirúrgicos flapless, preparos minimamente invasivos e laminados ultrafinos são ferramentas indispensáveis no tratamento estético/funcional conservador. Dentre os procedimentos estéticos mais procurados nos consultórios estão clareamento, laminados cerâmicos, implantes, cirurgia plástica gengival e bichectomia.

Dada a vasta importância dos laminados cerâmicos para a Odontologia atual, vamos explicar, a seguir, a sua associação com a cirurgia plástica periodontal.

Como funciona?

Podemos exemplificar a associação entre cirurgia plástica periodontal e laminados cerâmicos a seguir: paciente se queixa dos dentes curtos com grande quantidade de gengiva aparente durante o sorriso. Nesse caso, podemos lançar mão da cirurgia plástica periodontal para aumento de coroa, utilizando a técnica flapless, que consiste em uma gengivoplastia seguida de rebaixamento da crista óssea para aumento do tamanho da coroa e harmonização estética do sorriso do paciente, sem a necessidade de abertura de retalho gengival para acessar a crista óssea, permitindo controle, previsibilidade e segurança durante o desgaste.

Posteriormente, realizam-se correções do arco gengival e preparos protéticos conservadores, visando sempre à preservação de esmalte, pois somente assim podemos garantir o sucesso do tratamento a longo prazo. É importante ter em mente que o uso de laminados de 0,1 a 0,3 mm possibilita preparos que preservam de 95% a 100% do volume do esmalte, sem exposição de dentina.

Na mesma sessão é possível realizar a moldagem e confeccionar os provisórios. Numa sessão posterior, faz-se, por fim, a prova e cimentação dos laminados cerâmicos e o tratamento é finalizado.

Para que os resultados obtidos sejam satisfatórios é imprescindível que os protocolos predefinidos sejam seguidos, garantindo assim a previsibilidade e a segurança dos tratamentos propostos, bem como a preservação das estruturas naturais, correspondendo às expectativas do paciente.

Uma consideração que deve ser avaliada é o clareamento prévio do substrato, que possibilita um menor desgaste durante o procedimento. Isso porque, sendo o dente já clareado ou sem manchas, o desgaste necessário é bem menor do que em um dente não clareado, pois, para esconder as manchas de um dente, pode ser necessário um desgaste maior, o que compromete a estrutura dental.

Além disso, quando falamos especificamente de laminados cerâmicos, estudos indicam uma taxa de sobrevivência de 94% para os preparos minimamente invasivos. Outros estudos indicam ainda que, após dez anos de uso, 95% dessas restaurações ainda estão em perfeito estado (isso desde que sejam cimentadas sobre esmalte, nota-se mais uma vez a importância do desgaste mínimo). Cimentos resinosos têm a sua adesão favorecida quando sobre esmalte, garantindo a longevidade e sucesso do tratamento com laminados cerâmicos.

A cirurgia plástica periodontal, por sua vez, é uma cirurgia de pequeno porte, delicada, que visa à harmonia do sorriso. Com ela é possível alterar tamanho, desalinhamento, contorno e até mesmo espessura gengival.
Esses dois tratamentos estéticos, aliados um ao outro, podem trazer incontáveis benefícios à autoestima e à vida profissional de um indivíduo. Um sorriso mais estético e harmonioso pode ser o diferencial na vida de uma pessoa.

WhatsApp Contato por WhatsApp